Se não sai de ti a explodir
apesar de tudo,
não o faças.
A menos que saia sem perguntar do teu
coração, da tua cabeça, da tua boca
das tuas entranhas,
não o faças.
Se tens que estar horas sentado
a olhar para um ecrã de computador
ou curvado sobre a tua
máquina de escrever
procurando as palavras,
não o faças.
Se o fazes por dinheiro ou
fama,
não o faças.
Se o fazes para teres
mulheres na tua cama,
não o faças.
Se tens que te sentar e
reescrever uma e outra vez,
não o faças.
Se dá trabalho só pensar em fazê-lo,
não o faças.
Se tentas escrever como outros escreveram,
não o faças.

Se tens que esperar para que saia de ti
a gritar,
então espera pacientemente.
Se nunca sair de ti a gritar,
faz outra coisa.

Se tens que o ler primeiro à tua mulher
ou namorada ou namorado
ou pais ou a quem quer que seja,
não estás preparado.

Não sejas como muitos escritores,
não sejas como milhares de
pessoas que se consideram escritores,
não sejas chato nem aborrecido e
pedante, não te consumas com auto-
— devoção.
As bibliotecas de todo o mundo têm
bocejado até
adormecer
com os da tua espécie.
Não sejas mais um.
Não o faças.
A menos que saia da
tua alma como um míssil,
a menos que o estar parado
te leve à loucura ou
ao suicídio ou homicídio,
não o faças.
A menos que o sol dentro de ti
te queime as tripas,
não o faças.

Quando chegar mesmo a altura,
e se foste escolhido,
vai acontecer
por si só e continuará a acontecer
até que tu morras ou morra em ti.

Não há outra alternativa.

E nunca houve.

Charles Bukowski - Então queres ser um escritor? 

Pelas avenidas
as pessoas sofrem;
elas sofrem a dormir, elas acordam
a sofrer;
até os edifícios sofrem,
as pontes
as flores sofrem
e não há salvação –
o sofrimento senta-se
o sofrimento paira
o sofrimento espera
o sofrimento é

não perguntem porque há
bêbados
drogados
suicidas

a música é má
e o amor
e o argumento:

agora este lugar
enquanto escrevo isto

ou enquanto lês isto:
agora é o teu lugar.

Charles Bukowski.  
Prefiro não me arriscar mais a ir atrás de você, mesmo que sua falta machuque mais que qualquer coisa. Só prefiro evitar ser ignorada. Não seja tolo. Não existe apenas ignorância na parte verbal ou na falta de atenção, existe também a ignoração de sentimentos. Existe você não prestar atenção nos textos que eu passo a tarde toda escrevendo pra você, que talvez você até leia, mas nem repare que ali, naquelas bobas palavras, naquele pequeno clichê, que eu digo exatamente tudo o que sinto por você. Porque, cara, eu te amo demais.
Extinta. 
Sou apenas um rapaz talvez criado por uma alcateia de lobos que não se adaptou à civilização, insistindo em uivar pra lua, quando cheia. Que será enterrado com uma pilha de vezes que ousou dizer que ama alguém sem receio ou cerimônia. E que não vai se desculpar porque escolheu alienar-se de tudo que foi fincado na Terra e não germina tendo a paixão como húmus.
Gabito Nunes.
Resolvi ser feliz porque é melhor para a saúde.
Voltaire.
Eu procurei a vida inteira por alguém como você.
Charlie Brown Jr. 
Engoli as estrelas, o choro e a morte. Bebi do riso, da alegria e do cansaço. Sentei no banco, no abismo, fui e voltei. Olhei com os ouvidos, ouvi com os olhos, toquei com a boca, e beijei com as mãos. Deixei minha vontade ali, mansa, morna, quase morta. Se ela voltar um dia, eu a tomo devagar. A inteligência é a maior benção concedida a nós, por nós mesmos. E quem disse que a loucura não é uma vertente da mesma? Meus caros, a inteligência não está naquele que pensa, mas sim naquele que num momento de incerteza age por instinto. Inteligência não tem nada a ver com estar certo ou errado, inteligência é ouvir a própria intuição e seguir em frente, mesmo que isso o leve a morte, ao medo, ao fim. O fim? Nada é mais bonito e certo que o fim pelo fim. Sem motivos ou egoísmo. Apenas gratidão.
Sereno em um poema cronologicamente instável.  
O relacionamento no começo era sexual, mas gradualmente ele estava se apaixonando por ela, podia sentir que estava acontecendo. Considerou a hipótese de ir a um psiquiatra, então decidiu que não. Afinal de contas, era necessário amar um ser humano real? Nunca durava muito. Havia muitas diferenças entre os sexos, e o que começava como amor, geralmente acabava como guerra.
Charles Bukowski.  
Quase escrevo sobre você pela 3º vez hoje. Desisti. Ando perdendo tempo demais com você. Ando gastando todo o tempo que tenho com você. Me perco todos os dias em você, mas perdi você. Agora me perco, pra ter você.
Extinta. 
And you tried to change, didn’t you? Closed your mouth more. Tried to be softer, prettier, less volatile, less awake… You can’t make homes out of human beings. Someone should have already told you that. And if he wants to leave, then let him leave. You are terrifying, and strange, and beautiful. Something not everyone knows how to love.
Warsan Shire, For women who are difficult to love.

Regras:

1. Sempre postar as regras 
2. Responder às perguntas das pessoas que marcaram você, escrever 11 perguntas logo em seguida 
3. Tag 11 pessoas e ligá-los no posto 
4. Na verdade, diga-lhes que você marcou: fui marcada pela deprimentes.

Perguntas:

  1. Um cheiro? Cheiro de perfume masculino ou cheiro de comida, ambos ativam meu corpo.
  2. Uma frase? "Prefiro morrer do que perder a vida".
  3. Gosta de animais? Amo.
  4. Já fez uma boa ação? Se sim, qual foi? Sempre que ando de ônibus e sobe alguém pedindo, acabo dando dinheiro, teve um dia até que acabei dando e fiquei sem dinheiro pra lanchar.
  5. Você é a favor do casamento gay? Justifique. Nada contra, super a favor. Não tenho nada haver com o cu alheio ou com a buceta alheia.
  6. Já fez alguma loucura de amor? Sim, a maior loucura da minha vida.
  7. Já pagou algum mico, tipo king kong? Se sim, como foi? Já foram tantos, vou contar um que aconteceu hoje: Respondi uma pergunta que não era pra mim.
  8. Qual é seu estilo de música preferido? Rock.
  9. Como foi seu primeiro beijo? Nem lembro da sensação, mas, deve ter sido normal.
  10. Como se imagina daqui 10 anos? Linda, rica, poderosa, causando…
  11. Livro ou filme? Depende do livro e depende do filme.

Perguntas:

  1. Um cheiro?
  2. Uma frase?
  3. Gosta de animais?
  4. Já fez uma boa ação? Se sim, qual foi?
  5. Você é a favor do casamento gay? Justifique.
  6. Já fez alguma loucura de amor?
  7. Já pagou algum mico, tipo king kong? Se sim, como foi?
  8. Qual é seu estilo de música preferido?
  9. Como foi seu primeiro beijo?
  10. Como se imagina daqui 10 anos?
  11. Livro ou filme?

(Sem ideia para novas perguntas)

Tago: encanteios, eternue, animiciar, antipoetico e desarvorado.

Ela poderia ter passado o resto da vida ali, deitada naquela cama ainda bagunçada da última noite mal dormida. Lustrando as lembranças de um amor não tão perfeito assim. Fazendo as contas do amor que recebeu e do amor que foi oferecido. Atualizando todos os dias, um novo update de esperança em seus neurônios. Ela poderia ter perdido sim, mais tempo com todas essas causas perdidas, mas resolveu levantar e encarar tudo de peito aberto e cabeça firme. Deixar pra trás todos os desacordos e desencontros e remarcar uma nova consulta com a auto-estima. Ela resolveu começar a andar em linha reta, pelo menos uma vez, dessa vez não por ninguém, por ela mesma, por conseguir obter o difícil mérito de superação.
Extinta. 
Eu vou sem me despedir, pois o adeus me mataria.

Seria importuno dizer que sofro por não sentir? Não me sinto na condição de despedir-me quando vou embora. Não alargaria mais a dor? Não seria enorme o drama? Sou invadida por uma onda de culpa, pois tantas vezes minha mãe foi embora e eu me escondi, pra não vê-la indo, sendo derretida por lágrimas. Era como se estivessem tirando de mim algo que eu almejasse muito ser meu. Não era. Minha mãe não era minha. Um cara muito cruel e angustiante tirou-a de mim: o trabalho. Não quero compartilhar essa dor, o adeus me faz não sentir. Eu vou, sofrendo, sem me despedir, pois o adeus me mataria.

LC.

Estado de nada

Os versos se alongam, meu cabelo vai tomando forma ao vento e você não se meche. Ou será eu? Que não consigo aceitar que o meu olhar nunca irá se contemplar com o seu? Você acredita? Estou caminhando em cima de ovos, os torturados me tiram o sossego com poemas líricos que, por infeliz, fazem um enorme sentido. Faço um escândalo e você me rir fazendo-me ser banal ou achar que eu perdi tempo. 

Pode gritar para todo mundo que você me acha nèantitè. Só não finge que estou distante.

LC.